Mochilão 2017 – #PartiuPeru! Huaraz, capital peruana do trekking e trilhas – Povo Chavín e Glaciar Pastoruri

iiiaaiii galera! Beleza pura? Por aqui tudo ótimo!!! 😀

Depois de muito tempo sumidos (a correria ta demais!), para hoje temos mais uma etapa do nosso mochilão 2017. Esta parte foi muito sonhada e um ponto alto da viagem (apesar que gostamos de tudo na viagem hehehe).

Numa viagem que um familiar fez, em 2015 ou 2016, ele passou por Huaraz e voltou contando muitas histórias e falando do local. A partir daquele momento e das fotos que vimos, ficamos encantados e colocamos a cidade peruana do trekking/trilhas no roteiro! E tinha tudo a ver, pois esse mochilão teve uma pegada mais aventureira! hehhhehehe

IMG_20171025_214210359

Bem, como é normal, chegamos até Huaraz partindo de Lima. Pegamos um ônibus super confortável da Cruz Del Sur, partindo da capital peruana a noite, para viajar na madruga e chegar no outro dia cedinho, o que nos fez economizar uma diária de hostel.

IMG_20171025_214237907

Saímos por volta das 21:30h, 22h, para chegada lá pelas 06h, 07h da matina. Não lembramos a hora exata de chegada, mas sei que a viagem foi super tranquila. O ônibus era ótimo e só foi um pouco difícil de dormir devido a estrada ser com muitas curvas, muitas mesmo! E também a questão da altitude. Daí, deu um enjoo básico no caminho, mas nada demais também.

Esse é um destino que tem muito mochileiro e muito aventureiro. É maneiraaaaaasssssso!

Após chegarmos cedinho, pegamos um táxi para nossa hospedagem da vez. Ficamos no Hotel & Bungalows Villa Valencia, um hotel simples, mas muuuuuuuito charmoso e arrumadinho que recomendamos demais. Após check-in e tudo, veio um belo banho e já corremos para o café da manhã, pois nós iríamos para um passeio naquele momento. Uai, mas como assim?! Já??? Foi o seguinte, o táxi que pegamos pertencia a uma empresa de turismo também. Eles nos abordaram na rodoviária da Cruz del Sur e essa era uma empresa que nos foi indicada por um casal que conhecemos em Puno/PE, poucos dias antes. Eles estavam voltando de Huaraz e fizeram passeios diversos com empresas diversas e recomendaram demais a Golden Expeditions. Então já aproveitamos para fechar o primeiro passeio ali mesmo no táxi e quando fôssemos até o escritório para pegar o transporte, fecharíamos o restante e assim foi! Deu certo demais!!! Super recomendamos!

IMG_20171026_080957391

Para este primeiro dia, reservamos um passeio mais suave, fomos conhecer as famosas ruínas de Chavín de Huantar. Este é um passeio de meio dia, ou seja, uma manhã e uma tarde e no final da tarde já estaríamos em Huaraz. Este foi um passeio bem da hora, onde conhecemos muito das culturas locais, história e civilizações antigas.

IMG_20171026_085605229_HDR

Tudo começou às 09h, saindo da praça principal de Huaraz, onde fica o escritório da Golden. Saímos numa van. Tudo muito bem organizado! Era um grupo bom, a van estava cheia, coisa de umas 14 pessoas e de diferentes nacionalidades. Éramos os únicos brasileiros do grupo.

Nossa primeira parada foi na Laguna Querococha. Uma linda e muito grande lagoa que fica na beira da estrada à caminho do nosso destino. E pense numa paisagem linda, laguna show demais! Nem estávamos esperando ser tão massa, então foi marcante essa primeira laguna do passeio. Ali paramos para tirar fotos e também para tomar um cházinho, café, lanche, ir ao banheiro e tals. Nós aproveitamos para tomar um chá de coca com mel, para dar aquela aliviada no mal da altitude. A viagem até a laguna demorou 01:30h.

IMG_20171026_105003598HB4116A segunda parada e destino principal já foi nas ruínas em si. Mas para chegar até lá, passamos pelas cordilheira branca e contemplamos toda a beleza das montanhas que a formam. O trajeto até as ruínas levou mais 01:30h, ou seja, chegamos por volta de 12h, 12:30h.HB4116O passeio pelas ruínas foi muita da hora e nosso guia sabia muito sobre toda a cultura e história do local, além de ser super gente boa, então foi ótimo poder andar por ali e ir entendendo cada cantinho. Infelizmente as ruínas não estão 100% preservadas, devido a uma avalanche que destruiu boa parte de tudo. Mas mesmo assim, o que se tem é muito massa de se conhecer e vale a pena demais.

HB4116

Nesta parte do passeio, literalmente entramos nas ruínas, na rede de túneis que utilizavam em sua vida cotidiana. Tem uma parte muito louca, que é um lugar único, diferenciado de praticamente todas as ruínas que conhecemos, totalmente preservado, onde é possível ver e observar uma deidade dos Chavín, em seu local original, e nos explicaram como os moradores se relacionavam com seu deus. Não sei como fizeram  tudo aquilo, mas é impressionante!!!

HB4116

A última parada foi num museu, onde tinham mais explicações da civilização Chavín, com todo tipo de utensílios e coisas referentes à sua cultura.

Este passeio terminou por volta das 16h e chegamos em Huaraz umas 17h, 18h. Foi bem da hora! Saiu melhor do que o esperado.

O dia seguinte foi para conhecer mais um glaciar (mais um porque já vimos alguns na Patagônia. Se ainda não viu nossos relatos, vale a pena conferir!), o Glaciar Pastoruri, que foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade em 1985 e fica ao sul da Cordillera Blanca.IMG_20171027_102240187

Tudo começou bem cedo, como sempre, por volta de umas 07h ou 08h. Dessa vez a empresa nos buscou em nosso hotel, então foi mais tranquilo! Também fomos buscar outras pessoas em hotéis e partimos para o glaciar. São mais de 70km de distância entre Huaraz e o Glaciar, que fica no Parque Nacional Huascarán.HB4116

Às 10:30h paramos para tomar um lanche (aquele velho chá de coca que não pode faltar e tanto ajuda na altitude) e ir ao banheiro, num bairro ou cidade já mais distante do centro de Huaraz. Foi coisa rápida!HB4116Nossa próxima parada foi na estrada à caminho do destino, onde pudemos conhecer e contemplar muita natureza e coisas novas que não conhecíamos. Dentre estas coisas tem a grande e diferente Puyas Raimondi, uma grande planta natural da região e que tem um diferente jeito de nascer, crescer, florescer e morrer.

Elas florescem apenas uma vez na vida, o que pode demorar de 80-150 anos. Após isso, ela morre e “se deixa queimar/se queima” pelo sol até virar pó. Este tipo de vegetação só cresce em altas altitudes, acima de 3400 m.

Nós também paramos para ver a famosa Laguna de 7 Colores e Laguna Patococha, além de um local onde havia água gaseificada naturalmente (não bebível, é claro ehehe), mas o tempo estava meio fechado e não deu para ver muita coisa de laguna, mas deu para ver muita paisagem linda, com montanhas nevadas, muita vegetação e aquele ambiente lindo e cheio de paz.HB4116HB4116Até que lá para 12h ou 13h, chegamos ao início da trilha para visita ao glaciar. A trilha já começa acima de 5000m de altitude, finalizando em 5400m, então o trem já começa pesaaaaaado!!!HB4116Mas a trilha em si é bem de boas, organizada, com um caminho de pedras bem feitinho, não tem segredo, é começar a andar e seguir seu próprio ritmo, devagar e sempre, sem pressa! Claro que também não pode ser tão devagar, pois muitas excursões chegam juntas e se demorar muito, nem lugar para tirar fotos terá, pois é um passeio que muita gente faz.

HB4116A trilha é algo entorno de 2,5km de distância e temos 2h para subir, apreciar e voltar.  Quem quiser, pode lugar cavalos que ajudam na subida até o Glaciar. Nós decidimos ir andando mesmo, aproveitando e curtindo tanto a companhia do par quanto a paisagem! Foi show! Demoramos uns 40 a 45 minutos para chegar ao objetivo, sem passar mal, mas claro sempre devagar, sem exagerar! IMG_20171027_132514485No começo da caminhada estava um pouco calor, céu aberto. Já mais em cima, um pouco nublado e as roupas adequadas se fazem necessárias para não passar frio! De todas as trilhas que fizemos esse caminho foi o que envolveu o menor grau de sofrimento até a chegada ao topo e volta ao estacionamento.

Terminado o passeio, voltamos para Huaraz na tranquilidade e muito felizes do passeio. É um passeio simples, mas que valeu muito a pena, principalmente pelo esforço feito. Outra coisa importante é que esse Glaciar tem a cada ano diminuído, então quem viu, viu!!! O aquecimento global e os humanos estão acabando muito rápido com ele =/  A poucos anos atrás eram realizadas competições nacionais de esqui durante o inverno e o gelo já retrocedeu tanto que atualmente já não são mais realizados. Já tentaram revitalizar, recuperar o glaciar, mas não é mais possível e em pouco tempo, coisa de 5 anos, no máximo 10, essa maravilha deixará de existir!HB4116

HB4116Então galerinha que nos lê, obrigadooooo(aaaaaaa) pelo acesso e paciência até aqui! Não estava dando para postar ultimamente, mas vamos tentar melhorar isso 😉

Próximo post será bem da horinha, com mais dicas da maravilhosa Huaraz; vamos falar da famosíssima Laguna 69 e como foi conhecê-la.

Fiquem na  PaZ e até maaaaaais! FUI!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: