Mochilão 2017 – #PartiuPeru! O Valle Sagrado e a grandiosa Machu Picchu =]

E ai galerinha do nosso canal… ehheehhe começando estilo youtuber hoje!

Continuaremos falando sobre nossa passagem pelo Peru ano passado.

IMG_20171020_062637390-EFFECTS

No último post falamos mais sobre a maravilhosa cidade de Cusco, onde fizemos o city tour e também passeamos pela cidade. Neste post, falaremos de como foi conhecer o Valle Sagrado (o city tour também passa por alguns lugares do valle sagrado), descer em Ollantaytambo e partir de trem para Águas Calientes, cidade aos pés de Machu Picchu, onde os viajantes costumam passar ao menos uma noite ou um dia, antes ou depois da visita à cidade Inca e ponto de partida para a cidade perdida.

Existem 02 possibilidades de fazer este passeio, com rotas que começam por um lado e terminam pelo outro, de norte ao sul ou vice-versa. Uma rota começa pela ruína de Pisac, passa por Urubamba, Ollantaytambo e volta passando pelas Salinas de Maras, Moray e Chinchero. Como nós iríamos para Águas Calientes após o vale sagrado, escolhemos ir para Chinchero, Moray e Salinas de Maras, terminando o tour e descendo em Ollantaytambo para pegar o trem da Inca Rail para Águas Calientes. Devido a isto, não conhecemos Pisac e Urubamba. Ficou para a próxima hehehehehe

Indo ao que interessa, nós começamos o dia cedo, às 06:30 já estávamos tomando café! O guia ficou de nos buscar por volta das 07h, 07:20h e assim foi. Às 07:30h já estávamos na van e felizes da vida pela aventura que viria pela frente.

Começamos parando em Chinchero, por volta das 08:30. Ficamos ali uns 40 min, com explicações do guia e alguns minutos para tirar fotos, ir ao banheiro, comprar algo. Chinchero é uma cidadezinha edificada sobre ruínas incas.

IMG_20171019_083154923

Na praça principal tem-se uma igreja que foi construída sobre um incrível muro inca e ainda tem-se algumas ruínas interessantes, além de toda parte de terraços de agricultura que era praticada ali. Quanto à agricultura, explicaram toda a variedade de batatas e vegetais que eram cultivadas no local e mostraram algumas que ainda são, como seu método de armazenamento. Atualmente, existem mais de 3000 tipos de batatas, herança dos terraços Incas. Tem também bastante artesanato no local, mas praticamente em todas paradas tem hehehe Desta parada também é possível ver os picos nevados de Salcantay e as distantes cadeias montanhosas de Vilcabamba e Urubamba.

HB4116HB4116

A próxima parada, por volta das 09:50h, foi em Moray, um antigo campo de experimentos agrícolas. Neste local os Incas desenvolveram uma avançada técnica agrícola que consistia na criação de terraços circulares, para que pudessem experimentar toda a espécie de vegetais, sendo que cada terraço tinha seu próprio micro-clima, devido às suas diferenças de altitude. Algo incrível mesmo!

HB4116

Foi uma das civilizações do mundo que conseguiu diminuir ou acabar drasticamente com problema de fome, com a abundância na produção da batata, milho, feijão, quinoa e tantas outras variedades vegetais.

IMG_20171019_095106888-EFFECTS

IMG_20171019_100954307.jpg

Nossa terceira parada foi nas famosas Salinas de Maras. Na verdade, nunca tínhamos imaginado ver salinas em meio às montanhas e foi supreendente. Na chegada, já se da de cara com mais de 4000 “poças” de sal, sendo que cada uma pertence a uma família.

HB4116

Antigamente este sal para vendido para garantir a sobrevivência das famílias e a cada nova família local, uma nova poça era criada. Com o tempo, o sal perdeu seu valor, e hoje, de acordo com o guia, é mais um local turístico. O sal vem de uma mina subterrânea que a muitos anos “jorra” água extremamente salgada! É superinteressante!

IMG_20171019_113110274_HDR

A última parte e nossa descida final foi a incrível Ollantaytambo. Ollanta, como também é chamada, é bastante visitada pelos viajantes que vão para Machu Picchu.

HB4116

IMG_20171019_140110610-EFFECTS

Nesta cidade conhecemos um maravilhoso complexo de ruínas Incas e pudemos admirar grandes terraços com sistema de irrigação, templos e áreas para adoração, além de um local para obervação astronômica. Também nos foi mostrado onde os Incas estocavam comida, na montanha, juntamente com grandes pedras, que demonstraram que a cidade ainda estava em construção, ao fim do império, e foram tiradas de montanhas próximas, lapidadas e carregadas até o topo de outras montanhas, algo realmente inacreditável!

Após subir os incontáveis degraus de Ollanta, o passeio acabou e fomos a pé para a estação de trem, que nos levaria até Águas Calientes!

HB4116

Utilizamos o serviço executivo da Inca Rail e foi super tranquilo! Um dia antes, trocamos os vouchers comprados pela internet, na oficina da Inca Rail, em Cusco, na Plaza de Armas, para poder embarcar no trem.

HB4116

Pegamos o trem às 16:20h. Foi um transporte confortável, tranquilo e estava super vazio! O trem passa por lindas paisagens e pequenos povoados, além de que foi nossa primeira “viagem” de trem e foi super satisfatória! Claro que o preço é salgado, poderia ser mais barato, mas faz parte! O trem conta com poltronas confortáveis, ar-condicionado e um pequeno lanche, mas que achamos bem gostoso! O atendimento foi de primeira!

Lá para 18h já estávamos chegando em Águas Calientes, para descansar e no outro dia BEM CEDO subir até Machu Picchu. Águas Calientes é uma cidadezinha bem charmosinha, com muitas vielas, hoteis, hostels, restaurantes e TURISTAS! hehehee Pense numa cidade cheia! Mas nós gostamos, foi tudo bem legal, tirando o hostel que pegamos que realmente ficou a desejar! Foi o pior da viagem! Mesmo analisando e vendo reviews diversas, o booking prega algumas peças e essa foi uma dessas!

IMG_20171020_042006084

Mas de boas, foi só para dormir por algumas horas e tomar um banho, pois às 04:20h da matina, já estávamos acordados e prontos para zarpar, isso pois, é sabido, que para subir até a cidade perdida Inca, tem-se um caminho a percorrer. O caminha varia em torno de 3 horas de caminhada ou mais, pela mata, na subida, mas com trilhas bem definidas. De ônibus são uns 30 minutos, que custa “”””APENAS”””” (muitas aspas são necessárias hehehe) $25 DÓLARES! E isso por trecho. Ou seja, gastamos $100 dólares para subir e descer de ônibus e isso sim, achamos uma covardia e um roubo! Mas é o preço que se paga para ir numa das atrações mais visitadas do planeta. E a fila? Nós chegamos por volta de 04:30 na fila e já estava quilométrica, muito grande mesmo, muuuuuuiiiita gente! Estava escuro total e tivemos que amanhecer por ali mesmo, comer o lanche que o hostel nos deixou para café da manhã e aguardar até a saída dos primeiros ônibus.

IMG_20171020_050956184

Graças a Deus, fomos nos primeiros lotes de turistas e conseguimos chegar à entrada do parque antes das 06h, hora que abre oficialmente a entrada para as ruínas.

HB4116

Com isto, tivemos tempo suficiente para caminhar, turistar, tirar muuuuuuuuuitas fotos, conhecer, subir e descer muuuuuitos degraus e ladeiras heuaheuh foi um sonho realizado e realmente é um local diferenciado para se conhecer! Uma cidade, no pico de uma montanha, construída de forma incrível! Claro que existem outras ruínas muito legais de se conhecer, mas passar por Machu Picchu, pelo menos para nós, fez diferença!!! Aquele visual é inigualável!!!

HB4116

Além da cidade em si, tem mais algumas “trilhas adicionais”, como subir a Wayna Picchu, que é uma montanha ao lado de Machu Picchu de onde se tem uma outra visão de tudo! Tem-se também o Portal do Sol e a Ponte Inca. Nós fomos até a Ponte Inca e foi sinistro, andar na montanha, com uma parede imensa de um lado e desfiladeiro do outro, apenas com o espaço praticamente de uma pessoa e pouco para caminhar heheheeh Deu medo no começo, mas valeu a pena!!!

IMG_20171020_094845171-EFFECTS

 

IMG_20171020_101931454IMG_20171020_102156603

Nosso passeio pela cidade perdida terminou umas 11h, quando resolvemos descer, pois estávamos muito cansados já, de tanto andar! Então fomos para a saída e esperamos o ônibus para voltar até Águas Calientes. No hostel, deixamos nossas mochilas maiores, então passamos lá para pegar. Aproveitamos para caminhar mais um pouco, almoçar e passearmos na feirinha.

Nosso retorno de trem estava marcado para 16:15h, mas como chegamos adiantados na estação, conseguimos trocar para mais cedo e ganhar tempo na volta até Cusco. E graças a Deus deu tudo certo demais. Pegamos o trem por volta das 14:15h. E umas 18h ~ 19h já estávamos em Cusco. O trem pára em Ollanta e de lá pega-se uma van direto para Cusco. A van custa 10 soles por pessoa e deixa a gente numa praça próximo à Plaza de Armas. Foi tudo muito tranquilo!

Então assim terminou nossa aventura pelo Valle Sagrado dos Incas até Machu Picchu!!!

HB4116

Nos ainda ficamos mais 2 dias em Cusco, um para descansar, pois o esquema foi correria e também porque a cidade de Cusco é muito da hora! Outro deixamos para fazer o passeio das Areias Coloridas do Peru. Não percam, fiquem ligadinhos(as), pois esse passeio foi loucura, desafio pessoal vencido que entrou para nossa história!!!

Abração e obrigado demais pela paciência de nos ler até aqui =]

Um comentário em “Mochilão 2017 – #PartiuPeru! O Valle Sagrado e a grandiosa Machu Picchu =]

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: